30 de janeiro de 2011

Vuelve. Quiero sentirme en tus brazos. Quiero besarte los labios. Por siempre quedarme a tu lado. Vuelve. Sabes que tu me haces falta. La espera es cruel y lastima. Vuelve, llena de amor mi vida.

Vuelve, Reik.

29 de janeiro de 2011

É neste impasse que nos encontramos. Podíamos ser os protagonistas de mais uma bonita história de amor. Mas tu não vens, não tentas chegar-te ao pé de mim. Não tentas ser feliz. Tens medo, só pode ser isso. E achas que eu também não tenho? Já sofri muito, mas não deixo de amar as coisas mais lindas desta vida. Tu és uma dessas coisas. O que queres? Tu tens esse teu jeito especial. É impossível para quem está perto de ti ficar indiferente à tua presença. Agora imagina eu, que estou sempre por perto, mesmo que estejas a quilómetros de distância. Estás, preenches, és, o meu coração. Já não há nada que possa fazer. 
E é neste impasse que continuamos.

26 de janeiro de 2011

É quando as mãos se entrelaçam que o amor cresce. A cumplicidade plena, ali, naquele momento. São só dois, e o mundo inteiro para trás das costas. Ai vão eles. Vão ser felizes.

23 de janeiro de 2011

O mundo lá fora não pára. Não espera por ti. Ninguém permanece petrificado enquanto decides o passo que irás dar a seguir. Tens de acompanhar o ritmo, mesmo que fiques sem fôlego. Corre, avança em direcção ao infinito. Não pares!
Eleva o teu espírito e sente-te livre. Liberta a tua alma e conhece a verdade. Luta por aquilo em que acreditas, nem que sejas a única pessoa a fazê-lo. Luta por ti. Acredita em ti! Por que cada um de nós é perfeito à sua maneira.

Segunda-feira, 9 de Julho de 2010

22 de janeiro de 2011

Tenho sede de amor, do teu. Saudades de te abraçar. Algo se perdeu no meio da poeira que se fez levantar em nosso redor. Os meus olhos arderam de tanto me esforçar para te encontrar e a minha voz, quase escassa, tentou gritar por ti. Não valeu de nada. A poeira assentou e tu não estavas mais ali. O algo que se perdeu, foste somente tu.