Por vezes, preciso estar só para perceber o que se passa à minha volta. Preciso de estar a sós com os meus sentimentos, com as minhas emoções, com os meus pensamentos mais profundos para decidir o passo a dar a seguir. Não preciso de ninguém. Nesse momento, sou apenas eu, num monólogo acesso comigo própria. Sem querer ser rude: se não entendem, ao menos respeitem.

2 comentários: