13 de junho de 2012

Parti em busca de mim, procurando a alma perdida que outrora pertenceu a este corpo. Não sei onde a perdi. Talvez ainda esteja junto dos restos mortais de um amor antigo. Cruzei dúvidas e tropecei nos meus próprios medos, mas nunca desistira. Mas a minha alma incendiou-se com a última chama acessa daquele amor. Num momento, tinha tudo. Num outro, nada tinha. De mente perturbada, corri para longe daquele sítio, sem decorar os caminhos que percorrera. Agora, não sei onde estou. Perdi-me num labirinto por mim criado.

9 comentários:

  1. não mando pinta, sou normalíssima, mas obrigada.

    ResponderEliminar
  2. sim, sou descontraida. Uma verdadeira cega pelo fumo. :)

    ResponderEliminar
  3. às vezes até chegamos a perdermo-nos em nós próprios.

    ResponderEliminar
  4. ainda bem, obrigada! muita força, meu amor.

    ResponderEliminar
  5. nao tens nada que agradecer querida!

    ResponderEliminar
  6. da mesma maneira que crias-te labirinto em ti, qualquer saída por ti será descoberta; tenta escolher a melhor *

    ResponderEliminar