terça-feira, julho 24, 2012

Devia ter escutado o silêncio e permanecido apenas envolta nas memórias que agora magoam, de tão especiais que se tornaram. Criados novos sonhos e momentos e ilusões. Tudo passou a nada. Regressou o vazio e parece cada vez mais enraizado em mim. Afasto as cortinas para conseguir alcançar a noite imensa. Sento-me no chão arrefecido e olho para além do vidro. Vou desejando que o teu olhar igualmente contemple a lua que o sol, invisível deste ângulo, faz brilhar; que a pessoa que manténs viva na tua mente seja a mesma que escreve estas palavras. Boa noite.

Também poderás gostar

2 comentários

Mais lidos

Facebook

Seguidores

Subscribe