A culpa não é tua. Nem desse teu jeito que me conquistou. São os pequenos gestos, as curtas palavras, os poucos momentos. Não foi preciso muito para me encantares. E não, não sou uma pessoa fácil. Sou estranha, indecisa e tenho a mania da perfeição. Não sei como o fizeste, mas conseguiste superar todas essas barreiras e tocar no meu frágil coração.

1 comentário:

  1. ás vezes é assim, à algo mais forte que ultrapassa todas as barreiras necessárias. que lindo*

    ResponderEliminar