5 de setembro de 2012

A lua cheia iluminou o meu caminho e encontrei-te. Não sabia o que fazer ou o que dizer, mas nunca neguei interiormente aquilo que sentia por ti. Sinto-o a cada vez que me olhas. A mesma lua, regressou para me encher de coragem - Eu não quero que te afastes de mim. Não te quero perder. E da tua boca a resposta seguiu-se - Nunca me vais perder, garanto-te. Pedi a tua mão e tu cuidadosamente seguraste na minha. Encostei a minha cabeça sobre o teu ombro e, mesmo não sabendo o que estava a fazer, rezei. Rezei para que aquele momento fosse eterno.

9 comentários: