O medo da consequência paira no ar fresco desta noite. A primeira noite sem ti, desde há algum tempo. Desde que os dias quentes se tornaram um vício e partilhámos sempre um pouco mais de nós. Deixei que partisses mais cedo do que previa por ter tomado a tua presença como garantida até ao fim. Agora que não só a minha mente se mantinha confusa, mas também a tua tentava perceber o que realmente significava para ti tudo o que passou como vento, por entre dedos. Muitas almas te conhecem bem e sabem que o teu agir se tornou diferente por alguma razão. Todos partilham o mesmo pensamento, porém ninguém se atreve. Tu muito menos. Mas quero que penses em mim durante esta semana, todos os dias; e não preciso que seja a todo o instante, mas sim apenas por um momento. Preciso que entendas aquilo que o teu coração te quer dizer, mesmo que não seja o meu nome que ele pronuncia. Preciso. Tal como tu. Boa noite, bebucho.

1 comentário:

  1. Tentar é uma das bases, gostei muito do texto (;
    http://pontasdeternura.blogspot.pt/

    ResponderEliminar