Perco-me nesses teus olhos cor de amêndoa e só volto a encontrar-me quando não estás por perto. Sou frágil ao teu lado; sinto que vou ceder a qualquer instante. E enquanto o vento gelado me abraça, eu rezo para que ele te traga. Mas já não sei se te quero. Não me entendo. Quero que sejas livre e feliz; e ao mesmo tempo, feliz e livre comigo. Boa noite, bebucho.

1 comentário: