24 de fevereiro de 2013

Podia ficar horas a ver-te sorrir. Só porque sim; porque é o teu sorriso que me faz sentir borboletas na barriga. E eu sorrio, em jeito de retribuição, um pouco desajeitada. Sabes que eu sou assim; um pouco louca, um pouco aluada. No fundo, eu sei que achas uma certa piada. Porque sorris de todas as vezes que eu tropeço no ar ou que falo sozinha, como se isso fizesse de mim alguém quase-perfeito. Não sei o que vês quando me olhas, mas gosto que o faças.

9 de fevereiro de 2013

Fazes-me duvidar dos meus próprios princípios. Porque és tão certo, quando mais parecemos errados; e não existe nada errado que pareça tão certo como nós.
'Cause baby, you're too much of a good thing.

4 de fevereiro de 2013

Ainda é cedo e queria voltar para a cama.
Imagina um jardim carregado de bonitas flores. Se não o regares, todas as flores morrerão. Se cuidares dele, todas elas se manterão. Mas se lhes deres mais do que aquilo que suportam, elas acabarão por murchar. Imagina que somos esse mesmo jardim. Respiramos o aroma da confiança e amizade. Devemos manter-nos assim? Ou devemos arriscar tudo aquilo que temos, na esperança de algo mágico?

3 de fevereiro de 2013