15 de agosto de 2013

Papito

Vinte e sete dias, uma eternidade e a saudade sufoca. Tem sido difícil sem ti, papito. Nada tem a mesma intensidade. Ou talvez tenha sido apenas eu a perder-me na lembrança da tua gargalhada. Como se tudo se concentrasse nessa melodia contagiante que me faz acreditar que a felicidade está ali mesmo, diante dos meus olhos. Sem complicações ou limitações. Os teus verdes e doces olhos, sinto falta deles. E das manhãs agitadas, carregadas dessa tua personalidade e boa disposição. E tenho saudades de ouvir e cantar contigo a Wish You Were Here. A nossa música; aquela que me cantaste ao ouvido quando estive doente. Sabes, hoje sou eu que desejo que aqui estivesses. Volta depressa. Quero o teu abraço. É nele que me sinto verdadeiramente em casa. Amo-te, papito.

3 comentários: