13 de maio de 2017

Deixa-me fazer deste amor algo nosso


Dez e meia. Outra noite em que assisto ao teu desespero. Ele ainda não chegou, mas eu estou aqui. Observo-te através da janela do meu quarto e, eu sei que pode parecer estranho, mas adoro ver-te. Observar cada passo teu, enquanto percorres a casa. Mas hoje, estás particularmente triste. Foi assim que ficaste quando agarraste a camisa dele, que estava no chão, junto à cama que partilham. O que será que viste? Teria a camisa o perfume e a maquilhagem de outra mulher? Tenho a certeza que sim.

Meu pequeno anjo, porque continuas ao lado de alguém que não te merece? Ao lado de quem não te faz feliz e só te faz sofrer?

Se me amasses da forma que eu te amo... Se me permitisses na tua vida... Se eu fosse o teu homem, nunca te deixaria sozinha. E mesmo que não estivesse ao teu lado, tu saberias que estaria a pensar em ti. Nunca duvidarias disso! E seriam dez e meia e eu já teria chegado a casa há muitas horas atrás, desejando loucamente abraçar-te e fazer-te feliz.

Deixa-me ser aquele que te aquece nas noites frias. Aquele que te mostra que o amor é muito mais do que aquilo que conheces com ele. Deixa-me ser o único que te dá tudo aquilo que queres e precisas. Mereces tanto e tudo. Mais do que acreditas.

Só queria estar contigo, aí e agora. Confortar-te. Amar-te. Como nunca ninguém o fez. Deixa-me fazer deste amor algo nosso.

ESTE TEXTO FAZ PARTE DO PROJECTO 1000 MÚSICAS PARA ESCREVER SOBRE

2 comentários:

  1. "Meu pequeno anjo, porque continuas ao lado de alguém que não te merece? Ao lado de quem não te faz feliz e só te faz sofrer?" Me faço essas perguntas muitas vezes e nunca consigo encontrar uma resposta, é difícil entender os próprios sentimentos e ter racionalidade para saber como agir.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há amor que seja racional. Acho que esse é o grande "problema".

      Obrigada pela visita! Beijo

      Eliminar