7 de maio de 2017

Tudo aquilo que eu sinto, mas não digo

Estou sentada na esplanada do café da beira da estrada. Palavras e sons voam de uma ponta para a outra da mesa. O fumo dos cigarros entranha-se na minha roupa, mas eu não quero saber.


Talvez seja esse mesmo o problema. Já não querer saber de nada. Estou fisicamente junto a eles, mas psicologicamente ausente. Mas é muito simples explicar a razão de todo este afastamento. Eu mudei. Trabalho, responsabilidades e demasiado cansaço para conseguir suportar certas atitudes. E vocês também mudaram. Não há um dia em que não exista algum tipo de confronto desnecessário entre vocês. Agora, eu pergunto: para quê estar a cansar-me ainda mais? Continuo sentada na esplanada, mas não estou aqui, definitivamente. Já não me identifico com esta rotina. Já não sinto a mesma alegria por estar aqui. Tenho pena. É isso que sinto. E saudades de tudo o que éramos. Sentada na esplanada, junto a todos aqueles que já não conheço, sinto. Sinto e permaneço em silêncio.

****

Projecto: Escrita Criativa
Tema: Tudo aquilo que eu sinto, mas não digo

4 comentários:

  1. É tão difícil expressar o que sentimos, a gente vai acumulando tantas coisas, mas colocar isso pra fora não é algo fácil, e muitas vezes acabamos ficando em silêncio, sofrendo calados.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E muitas vezes nem tentamos dizer o que sentimos porque sabemos que, simplesmente, não vai servir de nada.

      Obrigada pelo comentário! Beijo

      Eliminar
  2. É triste a gente ver as coisas mudando sem que tenhamos controle, ver aqueles que eram tão próximos se tornarem estranhos e aqueles momentos de conversa fluída se tornam puro silencio.

    Blog Profano Feminino

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É realmente triste, mas infelizmente não depende só de nós.

      Obrigada pela visita! Beijo

      Eliminar